Alberto Sampaio (1841-1908)

Available actions

Reader available actions

 

Alberto Sampaio (1841-1908)

Description details

Description level

Subfond   Subfond

Reference code

PT/MVNF/AS-AS

Title type

Atribuído

Date range

1855  to  1941 

Dimension and support

866 u.i.; papel.

Producer

Alberto Sampaio

Scope and content

Alberto Sampaio nasceu em Guimarães, a 15 de novembro de 1841. Matriculou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, concluindo o bacharelato em 1863. Durante os cinco anos que passou na Lusa Atenas - onde conviveu com algumas figuras notáveis da sua geração, entre as quais Antero de Quental, José Falcão, Teófilo Braga, Manuel de Arriaga, António de Azevedo Castelo Branco e Alberto Teles -, foi um ativo participante das correntes de renovação que agitaram a sociedade estudantil coimbrã, intervindo como colaborador e redator de várias publicações académicas. Recém-diplomado, procurou iniciar uma carreira de advogado em Lisboa, tentativa que a inadaptação à vida cosmopolita da capital frustrou, trazendo-o de regresso ao Minho, à Quinta de Boamense, propriedade dos seus pais, situada na freguesia de Cabeçudos, concelho de Vila Nova de Famalicão.

Em 1869, integrou a filial de Guimarães da Associação Arqueológica de Lisboa e, quatro anos mais tarde, o núcleo de fundadores da Companhia dos Banhos de Vizela. O seu nome está também ligado à fundação da Sociedade Martins Sarmento, a qual o distinguiu como sócio honorário em 1881.

Considerado, no seu tempo, um profundo conhecedor do mundo rural, especialmente no domínio da vitivinicultura, área em que a excelência dos vinhos verdes produzidos em Boamense foram internacionalmente premiados, os seus serviços de aconselhamento foram, por esse motivo, frequentemente solicitados. De entre eles, destaca-se pela sua importância, a extensa colaboração que, a pedido de Oliveira Martins, prestou na elaboração do Projeto de Lei de Fomento Rural, o qual, embora nunca tenha sido votado, seria por este apresentado na Câmara dos Deputados, em abril de 1887.

Antes disso, já Alberto Sampaio tinha publicado, em 1884, O Presente e o Futuro da Viticultura no Minho, o seu primeiro grande contributo para o conhecimento da economia rural do norte do país, e desempenhado, nesse mesmo ano, com assinalável brilho, as funções de diretor técnico da 1.ª Exposição Industrial de Guimarães.

No entanto, seria com As Vilas do Norte de Portugal e, mais tarde, As Póvoas Marítimas, duas obras-primas, das quais a última, sobre as origens da nossa aventura marítima, ficaria, infelizmente, inacabada, que Alberto Sampaio viria a revelar, em toda a plenitude, o seu excecional talento para a investigação histórica, afirmando-se como pioneiro da história económica em Portugal. Quer estes, quer outros trabalhos, foram publicados nalgumas das revistas de maior prestígio literário e científico da época, tais como a «Revista de Portugal», dirigida por Eça de Queirós, e a «Portugália», editada por Ricardo Severo e Rocha Peixoto.

Morreu na sua Casa de Boamense em 1 de dezembro de 1908. Em 1923, por iniciativa o seu grande amigo Luís de Magalhães, a Livraria Chardron Lello & Irmão publicou parte da sua obra sob o título Estudos Históricos e Económicos.

Fonte: Faria, E. N.; Martins, A. org., introd., notas (2008). Cartas a Alberto Sampaio. Porto: Campo das Letras.

Access restrictions

Comunicável, sem restrições legais.

Language of the material

Português

Physical characteristics and technical requirements

Em regular estado de conservação.

Other finding aid

ODA